O Triste Conto de Cadmo

Em uma era engolida pelas areias do tempo viviam os Fenícios, mais precisamente a família real: Agenor, o rei, e seus dois filhos Cadmo e Europa. Acontece que um dia, Zeus, em forma de touro raptou Europa. Agenor então ordenou a seu filho que saísse à procura da irmã e que não retornasse sem ela. E assim foi feito. E Cadmo vagou por muitos lugares e por muito tempo sem conseguir encontrar a irmã, mas o orgulho não o deixava retornar. Já que não conseguia encontrar sua irmã resolveu consultar o Oráculo de Apolo, para saber em qual país deveria morar a partir de agora. O Oráculo respondeu que ao sair Cadmo encontraria uma vaca e que essa vaca deveria ser seguida, e onde ela parasse ali devia ser fundada uma cidade de nome Tebas.

Assim que saiu da gruta Cadmo avistou a vaca e começou a segui-la. Não demorou muito para que ela parasse e começasse a mugir (na planície de Panapo). O homem observou todo o território e deu graças aos deuses, querendo imediatamente oferecer um sacrifício a Zeus. Para o sacrifício mandou que seus homens encontrasse água pura para a libação. Por perto havia um bosque que nunca fora penetrado por homens antes, e no bosque havia uma gruta formada por uma abóboda baixa que dava uma excelente fonte de água. A caverna era o lar de uma enorme serpente.

A serpente tinha uma grande crista e escamas que brilhavam como ouro. Seus olhos flamejavam como fogo, o corpo era repleto de veneno e a boca tinha uma língua tríplice e três fileiras de dentes. E assim que os servos de Cadmo colocaram suas vasilhas para pegar água na fonte a serpente acordou e os homens ficaram sem cor. O monstro levantou-se e vendo os homens imobilizados de medo matou-os com o corpo, com os dentes e com a respiração.

Cadmo esperara meio dia pelo retorno de seus homens, e sem aguentar mais aguardar partiu em busca de seus servos. Logo ao entrar no bosque viu os corpos dilacerados e exclamou:
– Oh, fieis amigos! Hei de vingar-vos ou compartilhar vossa morte. 

Assim dizendo, avançou contra a serpente atirando-lhe uma enorme pedra que destroçaria fortalezas, mas que no monstro não surtiu o menor efeito. E começou uma terrível luta que teve seu clímax com o lançamento de um dardo por parte de Cadmo. Dardo este que infiltrou-se na pele da serpente. Esta, furiosa, tentou arrancar mas só piorou o ferimento. Aproveitando-se do momento, o homem investiu contra o serpente com sua lança acertando-lhe no flanco e apregoando-a contra uma árvore. 

Com a vitória o futuro rei de Tebas ouviu em sua cabeça a voz de Atena que dizia para tomar os dentes da serpente e semeá-los na terra. Assim fez. Não demorou muito tempo para que da terra surgissem pontas de lanças, seguidas de elmos, ombros, peitos, enfim, uma horda de soldados. Assustado com o que havia acontecido, Cadmo já se preparava para enfrentar os novos “inimigos” quando foi inspirado de novo a lançar uma pedra no meio deles. E um dos soldados disse:
– Não te intrometas em nossa guerra civil.
Dito isso, os soldados começaram a atacar uns aos outros e um por um foram caindo, até que restaram apenas cinco, que atiraram as armas foram e gritaram:
– Vivamos em paz, irmãos!
Esses cinco uniram-se a Cadmo para fundarem a cidade de Tebas.

Finalmente “em paz” Cadmo casou-se com Harmonia, uma filha de Afrodite. Os próprios deuses desceram do Olimpo para prestigiar o casamento e Hefesto, em pessoa, presenteou a noiva com um belíssimo colar de sua própria autoria. Mas ora, o infortúnio estava pousado sobre a família de Cadmo: Suas filhas e seus netos tiveram mortes horríveis, por causa da serpente que o patriarca havia matado tanto tempo atrás, serpente esta que era consagrada à Ares. Por conta disso, Harmonia e o esposo deixaram Tebas para irem viver no país dos enquelianos, onde também reinaram. 

Todavia, o fato de ter mudado de país não alterara a má sorte em nenhum aspecto e os filhos continuavam morrendo. Então, um dia, Cadmo exclamou:
– Se a vida de uma serpente é tão cara aos deuses, eu preferia ser uma serpente.
Mal dizendo isto, imediatamente o corpo do homem começou a metamorfosear-se e ele virou uma serpente. Harmonia ficou desesperada e pediu aos deuses para que pudesse acompanhar o marido em sua nova forma. Então foram viver nos bosques, sem evitar os homens e sem faz mal a quem quer que fosse. 

    • Cláudia Silva
    • 14 setembro, 2011

    Eu conhecia ja conhecia a história.

    É incrivel, como uma pedra lançada no meio de um exército pode desencadear uma guerra civil….

    Agora a titulo de curiosidade, há rumores de que J. K. Rowling se tenha inspirado nessa pedra para criar a Pedra da Ressurreição.

    • Luciano S.A
    • 16 setembro, 2011

    E nada da Europa!!!
    … e essa boca maldita do Cadmo,só foi ele desejar coisa ruim q na hora os deuses mandaram o feitiço pra cima dele!!!kkkk

      • Cláudia Silva
      • 16 setembro, 2011

      Agora não percebi….

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: