“Mockingjay” me deixou na Esperança.

Eu devo admitir que “A Esperança” foi o livro da trilogia que eu mais fiquei ansioso para ler. Não porque ele era o último, nem nada, mas foi porque eu realmente me apaixonei por Jogos Vorazes depois que li “Em Chamas”. E fiquei à espera de um grande final, que fosse arrebatador, que me deixasse boquiaberto e eu consegui isso. Não do modo que esperava, mas consegui.

Logo no início do livro a minha curiosidade foi satisfeita com relação ao Distrito 13. Você é apresentado a ele e descobre como ele conseguiu se virar por setenta e cinco anos. Do mesmo modo que você é apresentado à Presidenta Coin. Devo confessar que a primeira impressão que tive da mulher é que ela  era igual a Snow, com a única e exclusiva diferença que Snow está do lado da Capital e Coin do lado dos rebeldes. O que mais tarde se confirmou uma verdade, quem leu o livro entende.

Mas um fato que eu realmente adorei nesse livro, e talvez nos outros, mas com mais evidência nesse, foram os sentimentos de Katniss. Você conseguia senti-los, era como se você estivesse nos Distrito 13, com todas as indecisões e temores dela. E mais do que isso, as lições que são transmitidas nas linhas e nas entrelinhas do livro. Mensagens acerca de paz, da guerra e uma intensa reflexão em torno disso tudo. Pelo menos eu senti isso.

Porém, uma coisa que me deixou muito indignado foi o rumo que algumas coisas tomaram. Katniss, por exemplo, foi praticamente uma louca o livro inteiro. E isso meio que me deixou bolado. (“Bolado” foi ótimo, eu ri de mim.). Os segredos revelados no livro com relação a Snow também foram muito legais e tal. 

Todavia, eu ainda acho que o livro foi mal terminado. Acho sim, porque ficaram muitas lacunas abertas com relação a alguns personagens “secundários”. Você não sabe o que aconteceu com eles, e se por algum acaso a autora diz fica de uma maneira muito vaga. Você fica sem saber o que aconteceu com a Capital e só fica com uma simples visão do que aconteceu a Katniss, que por sinal, eu não gostei. Fora o título do livro, A Esperança, que eu achei um completo absurdo. Porque, por favor, né, isso não tem nada a ver com o livro. Já que mockingjay foi traduzido como Tordo, que fosse Tordo então o nome do terceiro livro. Ficaria com muito mais sentido.

Depois de sobreviver duas vezes à crueldade de uma arena projetada para destruí-la, Katniss acreditava que não precisaria mais de lutar. Mas as regras do jogo mudaram: com a chegada dos rebeldes do lendário Distrito 13, enfim é possível organizar uma resistência. Começou a revolução. 

A EsperançaA coragem de Katniss nos jogos fez nascer a esperança em um país disposto a fazer de tudo para se livrar da opressão. E agora, contra a própria vontade, ela precisa assumir seu lugar como símbolo da causa rebelde. Ela precisa virar o Tordo. 
O sucesso da revolução dependerá de Katniss aceitar ou não essa responsabilidade. Será que vale a pena colocar sua família em risco novamente? Será que as vidas de Peeta e Gale serão os tributos exigidos nessa nova guerra? 
Acompanhe Katniss até o fim do thriller, numa jornada ao lado mais obscuro da alma humana, em uma luta contra a opressão e a favor da esperança.

    • Mariana
    • 19 novembro, 2012

    Muito bom, concordo plenamente. No fim que eu acabei um pouco louca/paranóica com o Peeta, por quê ele perdeu toda a memória, e o amor pela Katniss, e isso NÃO podia acontecer por quê MEUS DEUSES! É O PEETA! Também senti falta de saber o quê ocorreu com a Capital e os Distritos… Enfim, parabéns🙂

    • Luc
    • 19 novembro, 2012

    Isso sem falar na morte de vários personagens que não deveriam morrer. O terceiro livro da trilogia jogos vorazes foi feito para se deprimir.

  1. Peeta e Katniss malucos durante todo o livro foi uma coisa insuportável, mas eu gostei do final, não do prólogo, mas do final em si.

  2. Sobre o título: concordo PLENAMENTE com você! Não entendi a relação que fizeram!
    E também o que o Henrique falou: não estava aguentando o Peeta e a Katniss ao longo do livro! Assim como a Mariana fiquei inconformada com o Peeta ter perdido a memória (ainda mais aquele ataque que ele deu quando viu Katniss a ‘primeira vez’)…

    Eu me decepcionei um poquinho com o último livro. Achei “Em Chamas” melhor que o primeiro e tava esperando que “A Esperança” fosse o melhor dos três. Pena que não correspondeu ao que eu esperava. ):

  3. Gosto muito dessa série e A Esperança me deu uma certa raiva exatamente pelo o rumo que as coisas tomaram.. Meu livro favorito continua sendo Em Chamas😀
    Adorei a resenha!

    Bjs!

    • Kelly
    • 12 junho, 2013

    Concordo com você. Achei que a autora chegou no final e viu que ainda tinha muita história pra contar e acabou fazendo um resumão. O fato de o Peeta ter ficado tão de lado também me deixou chateada, acho que, no mínimo, depois de todo sacrifício, a história de amor deles merecia um pouco mais de detalhes. Que fosse uma única página. Os detalhes da guerra foram minuciosos, mas o final ficou meio rabiscado. Acho que não matou a sede de quem queria ver o que seria o casal Katniss e Peeta…

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: